Parar de fumar na terceira idade é possível?

Publicado por

Considerado uma doença, o tabagismo é responsável pela principal causa de morte evitável em todo o mundo.

O hábito de fumar torna-se um vício que compromete não apenas a expectativa, mas também a qualidade de vida do idoso. Por muito tempo, o ato de fumar foi associado ao sinônimo de status perante os amigos e a sociedade, cultura que se proliferou em todas as classes sociais e gêneros.

São vários os motivos que levam uma pessoa ao vício do fumo, desde a acalmar os nervos até ao simples passar do tempo. Outros utilizam-se do cigarro como fonte de inspiração para solução de problemas e criação de ideias. O que começa como algo simples e sem sentido, pode se tornar um mau hábito pelo resto da vida.

Atualmente, em todo o mundo, há aproximadamente 1,3 bilhão de fumantes. Com uma população brasileira de 29,6 milhões de pessoas acima dos 60 anos, cerca de 20 % dos idosos brasileiros possuem o hábito de fumar.

Mas, será possível parar de fumar na terceira idade?

O tabagismo na terceira idade e seus danos à saúde:

 Antes de tratarmos da resolução da questão apresentada, é do saber de todos os grandes danos à saúde provocados pelo cigarro. O hábito de fumar provoca, ao longo dos anos, mudanças na aparência física e no organismo dos fumantes.

O amarelar dos dentes, a textura da pele, impotência sexual, inúmeros cânceres, deficiências respiratórias e alterações vasculares são algumas das doenças causadas pelo ato de fumar. O público 60+ é o que mais sofre com as consequências do tabagismo por ser mais suscetível a desenvolver problemas de saúde.

O consumo do cigarro pode ser entendido como uma doença adquirida na juventude, e que têm os seus sintomas predominantemente manifestados na velhice. Os malefícios do tabaco geralmente não são notados em curto prazo, constituem-se como uma sequência de alterações notadas como o passar dos anos. Os prejuízos no organismo são avassaladores, porque em um único cigarro existem mais de quatro mil substâncias tóxicas.

Os danos causados pelo tabagismo são cumulativos, quanto maior o tempo de exposição – tanto ativamente como passivamente, maior é o risco de desenvolvimento de doenças. As doenças mais associadas ao fumo na terceira idade são: câncer de pulmão, doenças cardíacas e doença pulmonar obstrutiva crônica.

Sim, é possível parar de fumar na terceira idade!

Apesar da maior dificuldade de largar o cigarro após os 50 anos, é sim possível que pessoas idosas consigam parar com o hábito. Fumantes mais velhos não irão se favorecer no mesmo grau que fumantes mais jovens, e, tão pouco, reverter todo o dano causado aos pulmões e ao sistema cardiovascular, mas haverá benefícios.

Os benefícios de parar de fumar na terceira idade serão notados de uma forma mais lenta, mas a interrupção da entrada da nicotina no organismo ainda é considerada a mais eficiente alternativa de redução dos riscos de doenças causadas pelo fumo, principalmente em pessoas com idade igual ou superior a 60 anos.

Parar de fumar não é uma coisa fácil. Segundo dados da OMS, apenas de 2% a 5% dos fumantes conseguem, sozinhos, largar o cigarro e se manter sem o vício. Entretanto, o tabagismo é uma doença que nem sempre depende de simples força de vontade: índices indicam que com acompanhamento adequado, a taxa de abandono do cigarro entre pessoas idosas pode chegar a 67%.

Caminhos para viver sem o tabaco na velhice:

  • O primeiro passo para sair do vício do cigarro é estar motivado a parar de fumar. Nenhum método será eficaz se o fumante sênior não estiver realmente determinado a parar de fumar.
  • A diminuição do número de cigarro deve ser gradativa. Para tal, evite carregar o maço ou a carteira de cigarros inteiros consigo.
  • Evite qualquer coisa que estimule o fumo, tais como cinzeiros pela casa ou o consumo de café e bebidas alcoólicas.
  • Atualmente existem diversos medicamentos para o auxílio do abandono do tabagismo, e podem ser uma alternativa ideal para os idosos, já que se submeteram por mais tempo aos efeitos da nicotina. Entre os auxílios farmacológicos e não-farmacológicos estão o uso de adesivos de nicotina na pele, gomas de mascar ou spray nasal.

Existem outros métodos para tratar a dependência da nicotina nos mais velhos, como o uso de cigarros eletrônicos, a prática regular de atividades físicas e terapias alternativas. Em ambos os casos, deve haver um acompanhamento médico e psicológico do fumante.

Antes tarde do que nunca: benefícios imediatos de parar de fumar na terceira idade:

  • 20 minutos: esse é o tempo ao qual a pressão arterial e os batimentos cardíacos de uma pessoa que decidiu parar de fumar volta ao normal.
  • 48 horas: Não há mais a presença da nicotina no organismo. O idoso já consegue sentir melhor o cheiro e o gosto dos alimentos.
  • 72 horas: A há uma melhora na respiração do mais velho.
  • 15 dias: o risco de câncer cai em 90%, contudo, nuca como a probabilidade de quem nunca fumou.
  • 1 mês: a pele do idoso começa a ganhar um melhor aspecto.
  • 3 a 9 meses: a função pulmonar aumenta em 10%. Os problemas respiratórios e a tosse típica dos fumantes desaparecem.
  • 1 ano: cai pela metade as chances do idoso ter um ataque cardíaco.

Mesmo na terceira idade, nunca é tarde demais para parar de fumar. Reduzir os danos que os cigarros causam aos pulmões e ao sistema cardiovascular pode contribuir para o aumento da expectativa de vida do idoso, assim como a qualidade da sua velhice.

Hoje em dia, inúmeros tratamentos são utilizados para tratar o tabagismo em idosos, pois o vício possui influência direta na saúde e no bem-estar do mais velho. Várias unidades de saúde espalhadas pelo Brasil oferecem consultas, medicamentos e até grupos de apoio para auxiliar fumantes veteranos a largar o cigarro.

 

E você, já passou dos 60 e está na luta contra o vício do cigarro? Conhece algum idoso que esteja tentando se livrar do vício? Compartilha com a gente suas experiências!

7 comentários

Deixe uma resposta