A importância da contação de história para idosos

Publicado por

Contar histórias resgata memórias e contribui positivamente para a melhoria da qualidade de vida dos idosos.

Contar histórias é uma habilidade que acompanha o ser humano desde os tempos mais remotos. Através de histórias contadas, as tradições e o passado de um povo são transmitidos de geração em geração.

A contação de histórias acende uma chama no coração dos idosos, pois permite que eles vivenciem no conto as suas próprias experiências.  Ao ouvir um conto, os mais velhos são capazes de resgatar antigas lembranças, criando neles um sentimento de prazer e empatia.

Mas a contação de histórias também proporciona outros benefícios aos idosos, veja a seguir:

Estimula as funções cognitivas do idoso:

Por terem vivido mais tempo e possuírem mais experiência de vida, os idosos são melhores ouvintes do que os mais jovens e escutam com atenção cada frase proferida. O vínculo com a história faz com que o idoso se coloque no lugar das personagens do conto e cria oportunidades para que ele compartilhe com outras pessoas suas memórias, resgatando as boas lembranças da sua vida.

Alguns idosos passam de ouvintes para contadores de histórias, retomando assim, sua importância na sociedade. No processo de contação de histórias é retomado o hábito da leitura e novas habilidades são desenvolvidas, estimulando as funções cognitivas dos idosos como fala, percepção, memorização, atenção e dramatização.

Minimiza os riscos de depressão na terceira idade:

Os avanços tecnológicos contribuem dia a dia para que os eventos coletivos da sociedade em que vivemos sejam cada vez mais raros. Contar histórias é uma atividade capaz de sempre se renovar e romper as barreiras do tempo, independente da evolução da humanidade.  Por se tratar de uma atividade coletiva, na contação de histórias o idoso socializa com outras pessoas e se sente menos sozinho.

Algumas comunidades possuem oficinas de contação de histórias oferecidas quinzenalmente; já outras, mensalmente. Independentemente da frequência dos projetos, os idosos desenvolvem durante esses encontros técnicas de recitação de poesias, habilidades de contação de histórias e técnicas de leitura.

Permite que os idosos conheçam culturas diferentes:

Através da contação de histórias os idosos são transportados para lugares distantes, muitos deles desconhecidos. As histórias têm o poder de encurtar distâncias e fazer com que sejamos um só povo, uma só nação.

Ao ouvir uma história os idosos passam a fazer parte daquele mundo, aumentando seus horizontes e a visão que eles têm do mundo afora.

Desperta emoções nos mais experientes:

Ao ouvir histórias os idosos sentem a fundo as emoções da narrativa, que despertam neles sentimentos importantes como tristeza, alegria, raiva, medo, irritação e vários outros. Trazer esses sentimentos à tona é de extrema importância para o público 60+, pois eles conseguem extravasar emoções reprimidas.

Na terceira idade, a irritação, o mau humor e a inquietude são normais e a contação de história para idosos serve como um alívio para todo esse estresse sentimental. A prática de contar/ouvir histórias refrigera a alma e melhora consideravelmente o humor do idoso através do imaginário.

Deixa os idosos mais participativos e atualizados:

Hoje em dia já não é mais possível contar a história do chapeuzinho vermelho à moda antiga. Novos recursos terão que ser incorporados ao conto para que se possa prender a atenção das pessoas. O contador tem o poder de recriar as histórias, adaptando-as ao mundo atual. Elementos tecnológicos começam a se misturar às fábulas antigas para fazer com que ouvintes de diferentes idades consigam viver as experiências da narrativa de uma forma criativa e imaginativa.

Quando o idoso é um contador de histórias, ele vai ter que procurar conhecer a tecnologia sobre qual pretende falar para poder transmitir sobre ela a outras pessoas. Quando o mais velho é um ouvinte no processo de contação de histórias, ele vai procurar conhecer a tecnologia para incorporá-la no seu dia a dia.

Estimula a relação intergeracional entre avós e netos:

A contação de histórias sempre foi vista como uma atividade desempenhada entre pais e filhos. No entanto, as novas constituições familiares têm mudado essa concepção. Hoje em dia é cada vez mais comum avós cuidarem de seus netos em tempo integral ou parcial e contarem histórias para os pequenos, seja para acalmá-los, para descontrair ou até mesmo para transmitir às novas gerações as tradições da família e da sociedade em que vivem.

Nesse contexto a contação de histórias pode ser vista como uma forma de aproximar a família, reunindo em volta da mesa de jantar ou sobre uma confortável cama no final do dia gerações diferentes, como avós, filhos e netos.

 

Outras pessoas também podem se beneficiar com a contação de histórias, como idosos internados em hospitais, em instituições de longa permanência e alunos de creches para adultos. Contar histórias pode mudar a vida dos nossos anciãos, através do bem-estar e do engajamento social proporcionado a eles.

 

E você? Já escolheu qual história vai contar hoje?

 

 

3 comentários

    1. Bom dia, Carla! Como vai? Antes de escolher uma história, é sempre indicado perguntar ao interlocutor quais os tipos de histórias que ele gosta ou escolher alguma em que se encaixe em algum momento da vida do adulto. Sendo assim, você consegue pesquisar pelo google ou em livrarias, as histórias que mais irão lhe agradar 🙂

Deixe uma resposta