Outubro rosa: o câncer de mama e a mulher idosa

Publicado por

O envelhecimento da população brasileira tem feito surgir novos casos de câncer de mama em mulheres idosas.

O câncer de mama é uma neoplasia que também pode surgir durante a terceira idade e atualmente atinge cerca de 11% das mulheres acima dos 65 anos de idade.

Esse percentual tão expressivo se dá pelo fato que, com o avançar da idade, muitas mulheres vão ficando fisicamente limitadas, o que acaba fazendo com que elas fiquem incapacitadas de recorrerem a programas de prevenção do câncer de mama, como a realização anual da mamografia.

Outro fator que muito contribui para o crescente número de casos de câncer de mama entre idosas são as recomendações do SUS (Sistema Único de Saúde) e do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA) com relação ao limite de idade para a realização da mamografia no Brasil. Mulheres entre 40 – 50 anos precisam realizar o exame anualmente; mulheres na faixa etária de 50 – 69 anos de idade, de dois em dois anos; mulheres com 70 anos ou mais só precisam realizar a mamografia em casos de diagnósticos anteriores de tumores ou dependendo de outros critérios médicos.

Como é feito o diagnóstico do câncer de mama na mulher idosa?

Os métodos diagnósticos para o câncer de mama em mulheres com idade igual ou superior a 65 anos são os mesmos que detectam o câncer em mulheres mais jovens, a saber:

1) Autoexame das mamas: Para realizar o autoexame da mama é necessário que a idosa tenha um profundo conhecimento sobre seu corpo e seja capaz de identificar alterações visíveis e/ou palpáveis em suas mamas. O autoexame das mamas é bem simples e rápido de ser feito e pode ser feito em pé, em frente ao espelho ou deitada:

Em frente ao espelho:

  • Posicione-se em frente ao espelho;
  • Observe os dois seios, primeiramente com os braços caídos;
  • Coloque as mãos na cintura fazendo força;
  • Coloque-as atrás da cabeça e observe o tamanho, posição e forma do mamilo;
  • Pressione levemente o mamilo e veja se há saída de secreção.

Em pé (pode ser durante o banho):

  • Levante seu braço esquerdo e apoie-o sobre a cabeça;
  • Com a mão direita esticada, examine a mama esquerda;
  • Divida o seio em faixas e analise devagar cada uma dessas faixas. Use a polpa dos dedos e não as pontas ou unhas;
  • Sinta a mama;
  • Faça movimentos circulares, de cima para baixo;
  • Repita os movimentos na outra mama.

Deitada:

  • Coloque uma toalha dobrada sob o ombro direito para examinar a mama direita;
  • Sinta a mama com movimentos circulares, fazendo uma leve pressão;
  • Apalpe a metade externa da mama (é mais consistente);
  • Depois apalpe as axilas;
  • Inverta o procedimento para a mama esquerda.

Fonte: Gineco.com.br

O exame das mamas pode ser feito entre o 3º e o 5º dia depois da menstruação, ou uma vez por mês caso a mulher já tenha entrado na menopausa.

Caso você observe alguma mudança no tamanho das mamas, o aparecimento de um ou mais nódulos ou tenha observado a saída de secreção pelo mamilo, procure um ginecologista imediatamente para que o mesmo possa solicitar exames complementares, como a mamografia.

2) Mamografia: a mamografia é uma radiografia das mamas, um exame de rastreio por imagem utilizado para diagnosticar precocemente o câncer de mama e oferecer à paciente opções de tratamento que lhe garantam longevidade e melhor qualidade de vida. O exame é realizado através de um mamógrafo, aparelho que verifica o tecido das mamas e é de extrema importância na luta contra a doença.

3) Ultrassom da mama: Quando o resultado da mamografia for duvidoso (suspeita de câncer de mama) ou quando a idosa possui mamas muito grandes, o médico pode solicitar um ultrassom para avaliar possíveis alterações nas mamas. O exame, que é simples e não invasivo, é solicitado pelo ginecologista ou mastologista e deve ser usado como complemento à mamografia e ao exame clínico das mamas. A ultrassonografia mamária pode ser feita de várias formas, com contraste, com doppler ou 3D.

4) Biópsia: Quando o exame clínico, a mamografia ou ultrassonografia mamária detectam alterações nas mamas, o médico recomenda que seja feita uma biópsia, um exame que consiste em retirar um pedacinho do tecido mamário para avaliar se existe a presença de células cancerígenas na área.

5) Ressonância magnética: Esse tipo de exame é recomendado para pacientes que possuem predisposição genética para a doença, já tiveram ou estão com câncer de mama, pois através da ressonância é possível saber com exatidão o tamanho do tumor.

Quais são os sintomas de câncer de mama em mulheres idosas?

O câncer de mama em fase inicial é uma doença assintomática e a percepção de alguns sintomas podem indicar estágios mais avançados da doença.

Os primeiros sintomas do câncer de mama em idosas pode ser observado durante o autoexame das mamas, quando é possível sentir ao toque dos dedos um ou mais caroços. Entretanto, existem outros sintomas para o câncer de mama:

  • Alterações na textura da pele, como pele enrugada;
  • Vermelhidão na pele e esquentamento da área;
  • Inchaço ou dor nas mamas;
  • Alterações visíveis dos mamilos e das mamas;
  • Presença de nódulos na(s) mama(s) e na(s) axila(s);
  • Saída de secreção pelo mamilo;
  • Em estágios mais avançados do câncer de mama, pode haver a presença de feridas.

Quais são os principais tratamentos para o câncer de mama?

O tipo de tratamento adequado para o câncer de mama é prescrito com base em uma série de fatores, como o estágio da doença, a idade e a saúde da paciente. Os tratamentos para o câncer de mama podem ser combinados ou não e se iniciam pelo procedimento cirúrgico para a retirada do tumor (terapia local). Além da cirurgia, podemos destacar outros dois tratamentos muito usados para combater o câncer de mama em mulheres idosas:

  • Radioterapia: terapia local que consiste em usar a radiação ionizante no local do tumor que se pretende retirar. A radioterapia é recomendada para casos em que não há metástase e para tumores que não puderam ser retirados totalmente durante a cirurgia.
  • Quimioterapia: terapia sistêmica que consiste em administrar medicamentos via oral ou intravenoso às pacientes portadoras do câncer de mama, com o objetivo de destruir ou controlar a proliferação de células doentes.

Como a mamografia deve ser realizada em mulheres idosas?

Realizar a mamografia em pacientes idosas requer alguns cuidados, tais como:

  • Permitir que a idosa seja acompanhada por alguém de sua confiança durante o exame;
  • Verificar se a paciente possui algum tipo de limitação física que a impeça de ficar em pé para fazer a mamografia. Caso haja algum impedimento, o médico deverá ajusta o equipamento para uma altura que seja confortável e segura para a idosa;

Neste vídeo, a Dra. Michelle Miya, mastologista e ginecologista do Instituto Se Toque ensina a fazer o autoexame das mamas:

 

 

A prevenção ao câncer de mama contribui para um envelhecimento saudável. Consulte regularmente o seu ginecologista.

Um comentário

Deixe uma resposta