Saúde bucal e a qualidade de vida do idoso

Publicado por

A perda de dentes é uma das maiores causas da baixa autoestima em idosos

A perda dos dentes geralmente é uma condição associada ao envelhecimento, mas há que se estabelecer um limite entre o avançar da idade, condições patológicas e outros fatores que envolvem a saúde bucal do idoso. Cerca de 42% da população acima dos 70 anos de idade já não possui mais nenhum dente na boca e em 50% dos casos, essa perda foi ocasionada pela falta de acesso a um tratamento dentário de qualidade.

Além de serem considerados o principal cartão de visita de uma pessoa, os dentes também são essenciais para uma boa nutrição, pois quando saudáveis, proporcionam a correta mastigação e deglutição. A perda de um ou mais dentes dificulta a mastigação do idoso, levando-o muita das vezes a não se alimentar direito.

A má conservação dos dentes também é um fator propulsor para o desenvolvimento de determinadas doenças em idosos. As bactérias presentes nas cáries podem atingir o nervo dos dentes e alcançarem a corrente sanguínea, provocando doenças cardíacas, cerebrais e pulmonares.

Por que a perda de dentes atinge os idosos?

Um dos principais motivos para que os idosos tenham problemas bucais é a perda da capacidade física decorrente do envelhecimento. Essa perda faz com que os mais velhos tenham dificuldade de realizar a devida higienização bucal, seja por enfraquecimento muscular ou por doenças como artrite, Parkinson, Alzheimer e várias outras.

Algumas doenças metabólicas também podem provocar a perda dos dentes na terceira idade, como diabetes, doenças renais e alguns tipos de câncer.

A ingestão de bebidas alcoólicas e o tabagismo prolongado são outros fatores que contribuem para a perda de dentes na terceira idade, já que esses maus hábitos provocam maior desgaste dos dentes.

Quais são as doenças bucais comuns em adultos acima dos 60 anos?

O envelhecimento natural dos dentes é provocado pelo uso contínuo dos mesmos, em processos normais no dia a dia das pessoas, como na mastigação dos alimentos, na ingestão de bebidas e na própria escovação dos dentes. Com o avançar da idade, o desgaste dos dentes em decorrência desse uso é considerado normal. No entanto, observa-se outros tipos de doenças bucais em adultos acima dos 60 anos; as mais comuns são:

  • Gengivite: A gengivite é uma inflamação da gengiva, localizada nas bordas dos dentes. Geralmente a gengivite é provocada pela inadequada higiene bucal, o que leva ao acúmulo de restos de comida nos dentes. Essa “sujeira dental” provoca o tártaro e a placa bacteriana, dando início ao processo de inflamação da gengiva. Os principais sintomas da gengivite são o inchaço da gengiva, dor local e sangramento nas escovações. Quando não tratada precocemente, pode virar uma periodontite, uma inflamação avançada que provoca o enfraquecimento e a perda dos dentes.
  • Retração na gengiva: O tecido da gengiva forma uma proteção ao redor dos dentes, impedindo que restos de comidas e bactérias atinjam o nervo dos dentes. Mas em alguns casos, a gengiva se retrai e expõe as raízes dos dentes, provocando sensibilidade, dor, e, em alguns casos mais sérios, as cáries.  A retração na gengiva pode ser provocada por hereditariedade, por escovação excessiva e/ou agressiva ou ainda, por mau posicionamento dentário.
  • Cáries: A cárie é uma infecção bacteriana que atinge vários níveis dos dentes, do esmalte à raiz. Geralmente provocada pela má higienização bucal, a cárie é o principal motivo de perda de dente na terceira idade. Vários fatores podem provocar o desenvolvimento de cáries nos dentes, sendo os mais comuns a ingestão de alimentos com açúcar, como refrigerantes, biscoitos, bolos, balas e chicletes. No entanto, a ingestão de alguns medicamentos e o contato próximo (beijo, compartilhamento de copos e talheres) com outras pessoas que possuem a doença também podem facilitar o surgimento da cárie em idosos.

Quais outras doenças bucais estão associadas ao envelhecimento?

  • Bruxismo: O bruximo é o atrito excessivo dos dentes, provocado geralmente por distúrbios psicológicos, como ansiedade, raiva, tensão ou estresse. O bruxismo é mais comum às noites, durante o sono, e pode provocar o desgaste excessivo dos dentes.
  • Movimento mesial dos dentes: Idosos que sofreram perda de algum dente podem ser acometidos pelo movimento mesial, quando os dentes vizinhos começam a se movimentar, alguns para a frente, outros para os lados e em alguns casos, até mesmo para trás. Esse movimento ocasionado pela falta de um ou mais dentes na boca causa desconforto estético e compromete a funcionalidade dos demais dentes.
  • Xerostomia: A xerostomia é uma doença caracterizada pela baixa ou nenhuma produção da saliva. Também conhecida como boca seca, a xerostomia pode ser provocada por vários fatores, como doenças nas glândulas salivares, diabetes mellitus, uso de medicamentos antidepressivos e anti-hipertensivos e também pelo envelhecimento. Os idosos são mais suscetíveis a desenvolverem a xerostomia, que pode causar dificuldades em falar, comer e proporcionar o surgimento de cáries na terceira idade, já que a saliva não está presente para proteger os dentes das infecções bacterianas.

Quais são os problemas decorrentes da perda de dentes na terceira idade?

Manter em dia a saúde bucal é extremamente importante para um envelhecimento saudável e com melhor qualidade de vida.

A falta de um ou mais dentes na boca compromete o convívio social do idoso, que tem sua autoestima afetada por questões estéticas. A falta de interação social pode levar o mais velho ao isolamento e contribuir para o surgimento da depressão na terceira idade.

A saúde bucal também é condição primordial para a saúde geral do idoso, pois uma boca doente causa pode causar várias doenças.

A perda dos dentes na terceira idade também pode prejudicar a nutrição do mais velho, pois pode dificultar a mastigação, que interfere na digestão dos alimentos. Além disso, a falta de dentes pode interferir na fala do idoso.

Quais são procedimentos utilizados em casos de perda de dentes?

  • Coroas: A coroa é indicada pelos dentistas para cobrir um dente danificado, proporcionando-lhe maior resistência e aparência. A coroa é colocada sobre o dente ou sobre um implante.
  • Pontes ou próteses fixas: Esse tipo de procedimento é utilizado em caso de danos graves ou perdas de dentes. Elas podem ser cimentadas sobre os dentes naturais danificados ou implantadas nos espaços vazios por pinos.
  • Dentaduras: As dentaduras são próteses totais, indicadas para idosos que perderam todos os dentes da boca. No mercado existem dois tipos de dentaduras, as fixas e as móveis.

Como manter uma boa saúde bucal na terceira idade?

Além das consultas regulares com um dentista de sua confiança, escovar os dentes pelo menos três vezes ao dia é fundamental para manter a boca saudável e livre de cáries.

Fazer uso do fio dental para retirar restos de comida, utilizar cremes dentais acrescidos com flúor e usar bons enxaguantes bucais são ações que contribuem positivamente para que seus dentes durem a vida toda.

Muitas vezes o idoso fica incapacitado de realizar a higiene bucal sozinho, caso em que a família deve prestar total assistência ao mais velho, ajudando-o a escovar os dentes e acompanhando-os às consultas com dentistas.

 

A higiene bucal é um hábito que contribui para um envelhecimento saudável. Cuide de você e de quem você ama. Procure regularmente um dentista.

Deixe uma resposta