Idosos diabéticos: 5 passos para agir numa hipoglicemia

Publicado por

O Diabetes é uma doença crônica que possui como características principais a elevação da glicose no sangue, também conhecida como hiperglicemia.

Essa elevação dos níveis de glicose no sangue se dá pela diminuição ou falta de insulina no organismo, um hormônio que tem como função principal levar a glicose até as células do organismo de forma que elas possam desempenhar suas atividades corretamente.

A insulina é produzida pelo pâncreas e a sua falta gera acúmulo de glicose no sangue. Essa concentração de glicose leva ao desenvolvimento do Diabetes Mellitus, que possui duas variações principais, a tipo 1 e a tipo 2.

O diabetes tipo 1 é diagnosticado em crianças e adolescentes como uma doença autoimune. O tratamento para essa doença é feito a base de injeções de insulina.

Os idosos são os mais afetados pela tipologia 2 da doença. Dados do Ministério da Saúde revelam que que cerca de 22% das pessoas com idade igual ou superior a 65 anos sofrem com o diabetes.

No tipo 2, o diabetes está associado ao envelhecimento, excesso de peso, sedentarismo, má alimentação e além das injeções de insulina, a doença pode ser tratada com outros medicamentos.

É possível ser diabético e ter hipoglicemia?

Sim. Apesar de ser uma doença caracterizada pelo acúmulo de glicose no sangue (hiperglicemia), eventualmente o idoso diabético também pode ter picos de hipoglicemia (baixos níveis de glicose no sangue).

A hipoglicemia acontece quando os níveis de glicose no sangue são inferiores a 70 mg/dl. Se não for prestado o socorro a tempo, a hipoglicemia pode até matar.

Por que a hipoglicemia acontece em diabéticos idosos?

Vários são os motivos que causam hipoglicemia na terceira idade, mesmo que o indivíduo seja diabético. Entre os principais podemos destacar:

  • Não se alimentar adequadamente, pular refeições ou dormir sem se alimentar antes;
  • Ingerir bebidas alcoólicas;
  • Fazer exercícios físicos em excesso;
  • Aumentar a dose da medicação contra o diabetes sem prescrição médica.

Quais são os sintomas de uma hipoglicemia?

Geralmente a hipoglicemia é sintomática e os seus sinais costumam aparecer de forma bem rápida. Confira a seguir os principais:

  • Confusão mental
  • Tremedeira
  • Suores e calafrios
  • Delírio
  • Desmaios
  • Nervosismo, irritabilidade e ansiedade
  • Taquicardia
  • Tontura
  • Sonolência
  • Fraqueza
  • Cansaço excessivo
  • Convulsões

Diagnóstico de hipoglicemia:

O diagnóstico inicial da doença é feito durante consulta médica, com base na apresentação dos sintomas pelo paciente.

Se ele não apresentar quadro de hipoglicemia durante a consulta, o médico poderá solicitar um exame para avaliar os níveis de glicose no sangue do paciente.

Geralmente o exame realizado para diagnosticar a hipoglicemia é a glicemia de jejum, um exame que mede o nível de açúcar no sangue do indivíduo num determinado momento.

Como agir durante uma crise de hipoglicemia?

Quando os níveis de glicose no sangue estão abaixo de 70 mg/dL, a pessoa pode apresentar um ou mais sintomas como os listados acima e, em casos mais graves, ficar inconsciente e até vir a óbito. Portanto, o socorro imediato pode salvar uma vida (inclusive a sua)!

A seguir, listamos 5 passos para um socorro imediato no caso de uma crise de hipoglicemia:

  1. Ofereça algo doce para a vítima comer, como uma solução feita com meio copo de água e uma colher de sopa de açúcar, refrigerante, sucos adoçados com açúcar, etc. Caso os sintomas não melhorem em 30 minutos, repita o procedimento anterior. Caso os sintomas persistam, chame ajuda médica.
  2. Caso o paciente esteja inconsciente, vire-o de lado e chame uma ambulância. Enquanto espera pela ajuda médica, passe um pouco de açúcar nas gengivas da pessoa, já que ela está inconsciente e não será possível oferecer-lhe comida ou bebida.
  3. Outra medida que pode ser adotada caso o paciente fique inconsciente durante uma crise de hipoglicemia, é aplicar glucagon, um medicamento injetável que estimula o fígado a liberar glicose armazenada na corrente sanguínea. Para esse procedimento, deve haver orientação prévia. Caso você não saiba aplicar o glucagon, chame ajuda médica.
  4. Durante uma crise hipoglicêmica, nunca aplique insulina na pessoa, pois isso reduzirá ainda mais os níveis de glicose no sangue.
  5. Em casos de crises de hipoglicemia acompanhada por convulsões, os procedimentos iniciais para socorro devem ser os mesmos do que para os epiléticos: Coloque a pessoa de lado, retire objetos de perto e proteja a sua cabeça com um objeto macio para evitar que a mesma possa bater a cabeça no chão e venha a se machucar.

Como prevenir a hipoglicemia?

A melhor forma de se prevenir contra a hipoglicemia é checar regularmente os níveis de insulina no sangue. Essa medição pode ser feita através de aparelhos específicos ou através de exames de sangue.

Não obstante, se alimentar adequadamente de três em três horas, ingerir bastante água e não aumentar as doses dos medicamentos para combater o diabetes também se constituem como formas de manter a glicemia em dia.

Outros cuidados que podem ser adotados para controlar os níveis de glicose no sangue são respectivamente:

  • A prática regular de exercícios físicos de acordo com prescrição médica e sob supervisão de um profissional especializado.
  • Consulta regular com equipe multidisciplinar especializada, que envolve profissionais da área da saúde como endocrinologistas, nutricionistas e psicólogos.

 

Agora que você já compreendeu a importância de controlar os níveis de glicose no sangue e aprendeu como socorrer uma vítima de hipoglicemia, que tal marcar uma consulta com seu médico de confiança para checar os níveis de glicemia no seu organismo?

 

Fonte: Sociedade Brasileira de Diabetes

Deixe uma resposta