Alfabetização para a terceira idade

Alfabetização para idosos: muito mais do que aprender a ler e a escrever

Publicado por

De acordo com a Constituição Federal Brasileira, todo cidadão, seja criança, jovem ou idoso, tem direito à educação. Assim, a alfabetização torna-se a base do processo de aprendizado, o que faz que ela seja essencial para a inserção social dos indivíduos, inclusive os da terceira idade.

O Brasil é um país que se encontra em um constante processo de desenvolvimento. Contudo, problemas na estrutura educacional brasileira impedem que a nação cresça socioculturalmente nos rankings mundiais.

Segundo dados divulgados pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), nosso país está posicionado em 8º lugar no ranking mundial no que diz respeito ao número de analfabetos maiores de 15 anos e de adultos, inclusive os com idade superior a 60 anos.

Esses dados demonstram que, em relação à educação e à inserção da terceira idade nos meios sociais, ainda há muito a ser feito, pois saber ler e escrever é essencial para qualquer indivíduo.  Por isso, diversos projetos estatais e particulares buscam, atualmente, alfabetizar os idosos a fim de garantir que os mais velhos tenham uma vida mais digna.

Entretanto, é preciso que os familiares dos idosos também estejam engajados nesses projetos, mesmo que de forma indireta. É essencial que eles entendam a importância da alfabetização para a terceira idade e se tornem incentivadores desse processo tão contributivo para a qualidade de vida dos adultos maiores de 60 anos.

A importância da alfabetização para a terceira idade

O conhecimento é um dos maiores bens que pode ser adquirido pelos seres humanos. Trata-se de um recurso que passa de geração em geração e contribui a construção social.

O processo de alfabetização é considerado essencial para que o indivíduo continue seus estudos, tenha acesso à cultura e vários outros benefícios que podem ser adquiridos por meio da leitura e da escrita.

Para os idosos, ser alfabetizado pode significar muito mais. Isso porque saber ler e escrever oferece aos mais velhos outra percepção sobre o mundo e assim, a interação social com os familiares e outras pessoas se torna mais facilitada.

Dessa forma, além do velho e bom conhecimento, a alfabetização significa também dois pontos essenciais para os seniores:

1) Autonomia

Um dos maiores problemas para as pessoas que se encontram na terceira idade é a falta de autonomia e liberdade para realizar atividades básicas do seu dia a dia. Esse quadro é agravado quando o idoso não foi alfabetizado.

Isso ocorre porque não saber ler e escrever limita as experiências de vida dos idosos e os tornam mais dependentes de terceiros.  Desse modo, atividades como pegar um ônibus, por exemplo, tornam-se mais difíceis e, em alguns momentos, requer ajuda.

Isso porque idosos analfabetos geralmente andam de transporte público pelo reconhecimento das cores do veículo ou pela ordem das letras no seu painel. No entanto, à noite essa tarefa torna-se mais complicada e pode exigir que o mais velho fique em casa, caso não tenha quem o ajude.

Já um idoso alfabetizado que não tenha nenhum comprometimento de saúde como catarata ou outros problemas visuais consegue circular pelos centros urbanos com mais autonomia, principalmente à noite. Além de conseguirem identificar o destino do automóvel sem a necessidade de auxílio ou acompanhamento, em caso de dúvidas, eles se sentem mais à vontade para buscarem informações com outras pessoas.

2) Segurança

Outra questão importante na alfabetização dos idosos, é que o ato de saber ler e escrever transmite muito mais segurança, ao mesmo tempo em que garante a inserção social da terceira idade.

Isso ocorre porque a sociedade se organiza e é administrada de múltiplas maneiras. Assim, a forma convencionada de estruturação da ordem social é por meio de documentos legais escritos, como editais, contratos, regulamentos e muitos outros.

Assim, um idoso que não sabe ler e escrever vira alvo fácil na mão de pessoas sem caráter. Ele pode sofrer golpes, violência financeira e ser submetido a vários outros constrangimentos por não saber assinar o próprio nome.

Por isso, ser alfabetizado, mesmo que tardiamente, é uma medida de segurança para os indivíduos. Porque assim, todo e qualquer cidadão passa a ser senhor das suas próprias vontades e decisões.

EJA: Educação de Jovens e Adultos e seus benefícios para os idosos

Sabendo da importância não só da alfabetização, mas também do processo de educação para pessoas que tiveram o ensino interrompido na juventude, ou que não podem cumprir com os horários regulares da manhã e da tarde oferecidos pelas escolas, o Governo Federal desenvolveu a educação para jovens e adultos, mais conhecido como EJA.

Com o EJA, qualquer cidadão maior de 16 anos pode ter acesso à educação gratuita, da alfabetização até a conclusão do ensino médio.

Essa proposta governamental visa erradicar o analfabetismo no país e permitir que mais pessoas possam concluir o ciclo básico e o ensino médio. Além disso, o EJA é a porta de entrada para que muito seniores se sintam estimulados a cursar também o ensino superior.

Assim, a partir do EJA, a terceira idade tem acesso a múltiplos conhecimentos, como matemática, língua portuguesa, ciências, geografia e história. Essas disciplinas básicas do saber facilitam a inserção dos idosos na sociedade, além de melhorar o diálogo com outros indivíduos e com a própria família.

Outros projetos de alfabetização para idosos

Em busca de um país que seja mais inclusivo e com igualdade social, diversas ONG’s e empreendimentos investem em projetos que buscam a alfabetização de idosos. Alguns deles são:

Projeto Aprender

Desenvolvido pela ADRA (Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais Brasil), o Projeto Aprender oferece aulas de alfabetização para jovens e adultos das comunidades do Rio de Janeiro, buscando inserir os mais velhos nos aspectos comuns sociais, como economia e saúde.

Se interessou pelo Projeto Apender da ADRA Brasil? Você pode entrar em contato com eles através do site ou através dos telefones de contato (21) 98146-9871 / (21) 2131-7811.

Programa Brasil Alfabetizado

Criado em 2003 pelo Ministério da Educação (MEC), o Projeto Brasil Alfabetizado  acontece em vários locais do país por meio da ajuda de professores voluntários que recebem apenas uma bolsa auxílio para realizar o sonho de muitos idosos de aprenderem a ler e a escrever.

No Programa Brasil Alfabetizado, cada Estado recebe um auxílio financeiro do governo federal para comprar material escolar, investir em cursos de formação para os alfabetizadores, financiar o transporte de alunos entre muitos outros benefícios.

Para saber mais, você pode acessar o site do programa clicando aqui ou então entrar em contato através do telefone 0800616161.

 

Só com a educação o Brasil conseguirá caminhar rumo a um país com menos desigualdades sociais e com melhor qualidade de vida. Você conhece algum projeto de alfabetização para idosos? Que tal contar para a gente nos comentários onde fica, para que mais adultos maiores de 60 anos possam recuperar o tempo perdido?

 

 

Deixe uma resposta