Golpes contra idosos

Golpes contra idosos: conheça os mais comuns e saiba como se prevenir contra eles

Publicado por

Com o envelhecimento populacional, cresce o número de criminosos especializados em aplicar golpes contra idosos.

Os golpes mais cometidos contra pessoas idosas no Brasil são o estelionato, o roubo, o sequestro relâmpago. Isso porque quem tem mais de 60 anos fica mais vulnerável a cair na conversa de criminosos, que usam a fragilidade desse grupo etário para cometer crimes. A violência financeira contra idosos também é caracterizada como estelionato.

A Lei nº 13.228/15 prevê o aumento da punição para quem praticar estelionato contra idosos. Antigamente, quem cometia esse tipo de crime podia pegar de um a cinco anos de prisão. Atualmente a punição pode chegar a 10 anos de prisão, se o crime for cometido contra pessoa com idade igual ou superior a 60 anos.

Apesar do enrijecimento da lei para esse tipo de crime, a cada dia que passa cresce o número de ocorrências de idosos enganados por oportunistas. A dica então é se prevenir para não cair em pegadinhas.

Golpes contra idosos: conheça os mais comuns

Antes de começarmos a listar os golpes contra idosos mais comuns, devemos lembrar que esses crimes são praticados por pessoas muito simpáticas, que estão sempre dispostas a ajudar. E eles estão presentes em diversos lugares, como em bancos, lanchonetes, shoppings e até mesmo nas ruas.

Não estamos aqui querendo generalizar. Entretanto, fique atento se alguém se aproximar cheio de boas intenções, principalmente se você não solicitou ajuda. Veja a seguir os golpes mais comuns para evitar cair em algum deles:

1) Sequestro de um familiar

Esse é o golpe contra idosos mais famoso. Contudo, ele é aplicado também contra pessoas de outras faixas etárias. Nele, o criminoso liga para um número de telefone qualquer. Quem atende é surpreendido por vozes ao fundo que pedem socorro, seguidas da informação de que o filho/filha/cônjuge foi sequestrado.

Apesar de já ser um golpe bem conhecido, muitos idosos continuam sendo atraídos por ele. Isso porque em alguns casos o idoso vive só ou não tem muito contato com o familiar “sob a mira dos criminosos”. E dessa forma, o depósito de uma quantia em dinheiro é realizado para que o tal familiar seja libertado.

Para não cair nessa pegadinha, o idoso, ao receber um telefonema desses, deve procurar manter a calma e desligar imediatamente o telefone. Em seguida, deve ligar para o familiar que os criminosos disseram ter sequestrado. Caso não consiga falar com ele/ela, tente contato com algum familiar mais próximo da pessoa e peça informações.

Além disso, o mais velho também não deve mais atender ao suposto telefonema e em casos de muita insistência, deve comunicar o fato imediatamente à polícia.

2) Confirmação de dados bancários

Golpistas também costumam ligar para a casa das pessoas se passando por funcionários de bancos. Se isso acontecer, lembre-se: bancos não ligam para a casa de seus clientes pedindo confirmação de dados bancários. Tão pouco pedem senha de cartão ou coisas relacionadas a esse tipo.

Quando é necessário fazer a renovação cadastral, o banco geralmente envia uma correspondência para a casa do correntista e/ou emite uma mensagem através dos caixas eletrônicos. E em ambos os casos, pedindo para que o correntista se dirija pessoalmente até a sua agência bancária para fazer a atualização cadastral.

Sendo assim, fique esperto: nunca entregue seus dados bancários, senhas de cartões, CPF e nenhuma outra informação pessoal a desconhecidos. Em caso de dúvidas, entre em contato com o telefone disponibilizado por sua agência bancária e fale com o seu gerente.

3) Processo judicial – indenizações

Essa fraude consiste em enviar uma carta para a pessoa idosa informando que a mesma ganhou uma causa na justiça. Entretanto, para receber o suposto valor, terá que pagar honorários de um advogado ou custas processuais.

Esse é mais um dos vários golpes contra idosos e geralmente praticado contra aposentados. Isso porque para a proposta ficar irrecusável, o texto da carta remete à aposentadoria, pensão e outros benefícios que os mais velhos têm direito. Já ouviu falar do golpe da revisão da aposentadoria? Não? Então dá uma olhada nessa reportagem, disponível no portal R7.

Assim, na carta, o telefone para contato e o endereço do falso escritório de assessoria jurídica são disponibilizados para que a futura vítima entre em contato. Mas o que muitas nem desconfiam é que elas serão obrigadas a pagar uma mensalidade para uma associação criminosa. Além disso, essas pessoas nunca terão a revisão de pensão solicitada.

Nesses casos, ao receber uma dessas cartas, o idoso deve procurar imediatamente a polícia, ainda que tenha entendido tratar-se de um golpe. A denúncia pode servir para evitar que outros idosos também sejam atraídos pela falsa promessa de revisão de aposentadoria.

4) Compra equivocada

O telefone toca. Do outro lado, uma pessoa se passa por funcionário de uma administradora de cartões e informa que uma compra de alto valor foi feita no cartão de crédito dele. Então, para liberar ou não a transação, é necessária a confirmação de alguns dados pessoais, incluindo número da conta, cartão e código de segurança.

A orientação aqui é a mesma para o exemplo número 2, o da atualização dos dados bancários. Dessa forma, nunca confirme ou forneça dados pessoais por telefone. Em caso de dúvidas, ligue para o telefone da agência bancária ou converse pessoalmente com seu gerente.

5) Cartão preso no caixa eletrônico

Alguns criminosos usam o golpe do cartão retido no caixa eletrônico para se apoderarem de dados pessoais das vítimas. Assim, eles costumam instalar uma máquina capaz de reter cartões no caixa eletrônico. Geralmente esse tipo de golpe contra idosos é praticado em horários depois do expediente bancário ou em finais de semana.

O crime consiste em reter o cartão da vítima no caixa eletrônico, para que a mesma tenha que solicitar a ajuda de alguém. É exatamente nesse momento que surge o oportunista simpático, cheio de boas intenções em ajudar e é claro, fazer com que você digite a sua senha bancária para liberar o cartão.

A dica aqui é bem simples. Se tiver o cartão retido pelo caixa eletrônico, peça ajuda de um funcionário do banco. Não aceite ajuda de estranhos. Se isso acontecer fora do expediente bancário, deixe o cartão lá e ligue para a central de atendimento solicitando o bloqueio ou cancelamento do mesmo.

6) Posso ajudar?

Idosos geralmente possuem dificuldades de realizar operações bancárias em caixas eletrônicos e assim, acabam sendo vítimas de espertinhos. Isso porque sob o pretexto de ajudarem os mais velhos, golpistas se aproximam dos mesmos e coletam dados pessoais, como senha do cartão.

A orientação para esses casos é pedir ajuda somente a funcionários do banco, devidamente identificados por crachás. E na dúvida, procure por funcionários que estejam dentro das agências. E se ainda assim se sentir inseguro, leve junto um familiar de confiança ou o seu neto de aluguel para ajudá-lo a realizar as transações bancárias.

E assim, pudemos observar que estar atento é o melhor caminho para evitar cair em golpes financeiros. Ao receber qualquer proposta suspeita, dirija-se imediatamente à delegacia mais próxima.

E você já foi vítima de golpes contra idosos? Que tal contar para a gente como foi a sua experiência e a quem você recorreu para pedir ajuda?

Um comentário

Deixe uma resposta