setembro amarelo

Você conhece o movimento do Setembro Amarelo?

Publicado por

O mês de setembro é muito importante para o combate do suicídio. Afinal, é neste mês que temos o movimento Setembro Amarelo, que fala justamente sobre a conscientização e prevenção do suicídio.

Quer entender o que é esse movimento e o que podemos fazer para ajudar? Então, acompanhe o texto e saiba um pouco sobre esse assunto.

O que é o Setembro Amarelo?

O Setembro Amarelo é uma campanha que acontece durante todo o mês de setembro e que  tem como objetivo conscientizar as pessoas sobre a prevenção do suicídio. Esse movimento vem acontecendo no Brasil desde 2015, quando o Centro de Valorização da Vida (CVV), a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) e o Conselho Federal de Medicina (CFM) o criaram, pois 10 de setembro é considerado o Dia Mundial da Prevenção do Suicídio.

Sendo assim, o amarelo foi e é a cor utilizada para promover a campanha. Dessa forma, muitos prédios e pontos turísticos do Brasil utilizam da cor para dar mais visibilidade à causa.

Qual é a importância do Setembro Amarelo?

O suicídio é uma doença silenciosa que faz uma vítima a cada 45 minutos no Brasil. Os idosos são os que mais cometem suicídio, seguidos dos jovens entre 15 e 29 anos. 

Podem haver inúmeras causas para o suicídio, mas uma das principais é a psicológica. Muitas pessoas com depressão, ansiedade ou com muita pressão em relação ao trabalho e ao estudo pensam no suicídio como uma forma de se livrar do que as está sufocando.

Por essas doenças e causas ainda não serem levadas tão a sério, as pessoas não procuram por ajuda psicológica. E, assim, os casos de suicídio só aumentam.

Dessa forma, a campanha do Setembro Amarelo vem para conscientizar as pessoas que é preciso sim ir em busca de ajuda quando algo não está bem em sua vida e, principalmente, quando você já pensou ou tentou tirar a própria vida. 

O próprio CVV oferece apoio por meio do número 188. Sendo assim, quem estiver muito mal ou até ao ponto de já estar pensando em suicídio, basta ligar para o telefone para ser escutado por alguém e receber auxílio. 

Depois disso, o ideal é buscar por um acompanhamento psicológico. E, para quem não tem condições de pagar um psicólogo ou psiquiatra, saiba que, nas universidades que têm o curso de psicologia, normalmente é oferecido atendimento gratuito para a comunidade. 

Assim, os alunos dos últimos semestres atendem as pessoas. Porém, eles são supervisionados pelos professores.

É preciso olhar para os idosos

Apesar de associarmos o suicídio com pessoas jovens, os idosos, como citado acima, são os mais atingidos. Por estarem no final de suas vidas e por terem superado grandes desafios no decorrer da sua existência tem-se a impressão de que os idosos não vão querer tirar a própria vida.

Porém, é nessa idade que surgem as doenças degenerativas, a dor crônica, a incapacidade de cuidar de si sozinho, a perda de laços entre pessoas e até os maus tratos (físicos ou psicológicos) causados pelos cuidadores ou pessoas da própria família. 

Dessa forma, o idoso vai ficando sozinho, pois perdeu o cônjuge, a autonomia, a produtividade o papel social e amigos. Assim, a depressão pode surgir, até que o desejo de antecipar o fim da vida começa a ser uma realidade possível. 

Segundo o Mapa da Violência 2014, entre 1980 e 2012, houve um crescimento de 215,7% de suicídio entre os idosos. O número de casos entre homens é maior que o de mulheres. Acima dos 75 anos, segundo o Ministério da Saúde, acontece de 8 a 12 casos entre homens para um de mulher.

Outro dado preocupante que foi divulgado pelo Boletim Epidemiológico de Tentativas e Óbitos por Suicídio no Brasil, é que foram registradas 8,9 mortes por 100 mil entre 2011 e 2017 entre idosos com mais de 70 anos. Sendo que a média nacional é de 5,5 por 100 mil. 

O que fazer em caso de depressão ou tentativa de suicídio?

Precisamos olhar para os idosos da nossa família e conversar com eles sobre como estão se sentido. Ao dar mais atenção a eles podemos perceber se há alguma alteração em seu humor ou atitudes. Caso identifique essas mudanças, converse com ele sobre a possibilidade de levá-lo em um psicólogo. 

Pois, também é perigoso tentar oferecer ajuda sem ser um profissional qualificado, já que uma palavra pode provocar emoções muito fortes.

Então, nesse mês do Setembro Amarelo, procure pesquisar mais sobre as causas que levam ao suicídio e entenda que essa é uma doença que se não tratada pode levar à morte.

Aliás, convidamos você a acessar o site Setembro Amarelo para se informar mais sobre o assunto. E se ver que alguém precisa de ajuda, indique o chat do site e indique ou procure ajuda profissional para o caso.

Deixe uma resposta